quarta-feira, 17 de maio de 2017

BATALHÃO DE CAÇADORES-1891: MIANDICA TERRA DO OUTRO MUNDO. MEMÓRIAS DE QUEM LÁ ESTEVE:

No dia 19 de Novembro de 1972 cheguei ao Lunho com a C.CAÇ.4141 os gaviões:

Esta companhia ficou sediada Num aquartelamento mais isolado a Noroeste do Niassa .

O seu ambiente era só capim mato e os montes que vigiavam de perto e de longe montes mais pequenos como lijombos e grandes como o Chissindo .Para os que estavam de lado de cá ! o Lunho ficava lá no fim do mundo mas para mim que estava lá aqueles 17 km que me separava da povoação mais próxima-Nova Coimbra eram intermináveis. Cada km teve a sua história era uma emboscada era uma mina que se detetava e era levantada era uma viatura que atascava no tempo das chuvas e obrigava horas e horas de trabalho angustiante eram patrulhamentos. Havia sangue suor e esforço dos que iam para a Miandica e para as operações e fazer proteção a uma coluna dos que iam compor o itinerário dos que iam carregar às costas os reabastecimentos que não chegavam lá porque a pista de aviação durante as chuvas se alagava e o nome do Lunho metia muito respeito. Impressionava os que não estavam lá porque os que estavam! estavam acostumados e jogavam a apreensão de cada dia com a naturalidade dos que todos os dias saiam de casa para o emprego. Era o aquartelamento e todo o horizonte era a vegetação rasteira e plana na maior parte da vista ao redor e para o outro lado umas grandes montanhas e a subida para a Miandica.

Claro que não havia lá mais nada não havia viva alma as casernas de material pré-fabricado em chapas de zinco e outras em artesanal em blocos de cimento e tijolos. Uma capela sem padre construída em bidões para a celebração do Santo oficio uma Santa aparecida na Miandica  foi transportada para a dita capela pelo furriel Mil..º Amadeu Silva da C.CAÇ.1558 do batalhão de caçadores 1891.

Quem não soube o Lunho ficava para lá do fim do mundo aquela picada cheirava a trótil  a  destruição e a morte. Nós soldados ali perdidos  no meio daquele capim passou a ser o centro daquele aquartelamento onde só reinava o terror e o medo.

A C.CAÇ.4141 os gaviões a partir de Maio de 1973 deixou de fazer operações para fazer a proteção à 2.ª companhia de engenharia que construíram uma picada do Lunho até ao planalto da Miandica e a construção de uma pista de aviação.

Bernardino Peixoto soldado corneteiro 017516/72 da C.CAÇ.4141 os gaviões.
ANTÓNIO JORGE FREIRE DE CARDOSO
CAPITÃO MIL.º DE ART.ª COMANDATE
DA C.CAÇ.4141 OS GAVIÕES.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Furriel Mil.º Amadeu Silva da C.CAÇ.1558
do batalhão 1891.
A 2.ª COMPANHIA DE ENGENHARIA NA FRENTE DOS TRABALHOS
NA MIANDICA NO ANO DE 1973.
A PONTE VELHADO LUNHO 1966.

quarta-feira, 22 de março de 2017

ABILIO SILVA:

Batalhão Caçadores 5011: Convívio 2017: Almoço / Convívio da CCS do batalhão de Caçadores 5011 Para mais detalhes sobre este convívio que se aproxima a passos largos, clica...
ABILIO SILVA FURRIEL MIL.º