quinta-feira, 24 de março de 2016

Capela dos Bidões.

No Lunho também pude ver uma capela sem padre:


5 comentários:

  1. No lunho também pude ver uma capela sem padre que deixava circular livremente a luz e o ar sobre umas chapas de zinco e por entre umas colunas de madeira que sustentava o teto zincado.Via-se uma cruz na frente deste local destinado à oração mas esquecido para tal fim.
    Era pois este o indicativo e só de capela ou algo análogo. Dentro destas e debaixo destas folhas metálicas encontravam-se ao fundo umas cruzes imperfeitas com Cristos crucificados uma Santa aparecida na Miandica de terço a pender das mãos ar triste talvez por se encontrar só no meio de um ambiente bélico e sem estatutos. Existia uma chapa em ferro sobre um Bidão servindo de mesa para a celebração do Santo Oficio.

    ResponderEliminar
  2. Nos dias de calmaria os africanos que constituíram o grupo de integração n°.132 serviam-se da casa da cruz de madeira para dormirem a sesta e trocarem entre si impressões que muita gente não copreendia.O local era dos mais frescos possíveis de trepar e como tal era bastante convidativo. Faltava apenas um rapaz de casaco branco e de bandeja na mão a dizer "faça o obséquio de pedir".Seria como o nosso café onde depois das refeições se reúniam os amigos não só para engolir café mas também para dizer e desdizer deste ou daquele.

    ResponderEliminar
  3. O prior ria até ás lágrimas em frente da caixa do correio pendurada na fachada do gabinete do capitão. Tinha chegado na véspera á boleia de uma "DO" e ficou para o voo semanal da "pega" que o levaria a Metangula.
    Calculei o motivo mas estava na varanda das "transmissões" com a vitima a meu lado e nada de abrir o "bico"..
    Na noite anterior tal como em muitas passadas e futuras tinha estado a ajudar o Henrique a fazer fotos no posto ao lado da capela.
    O Amador tinha estado a "ajeitar-se" para que alguma saísse de modo a cativar a madrinha de guerra no "puto"... de tantas cópias uma acabou na tampa da caixa do correio cercada por ocasional moldura..qual anuncio de bandido procurado pela justiça lá no Oeste Americano..." Jonh Bhatmuma" "procura-se vivo ou morto"... Até hoje a investigação do visado nunca foi conclusiva pairando a dúvida sobre o autor do anuncio. Foi no Lunho em 1973

    ResponderEliminar
  4. Em 1973 se deslocou um capelão militar ao Lunho.Uma vês mais eis que não tinha um altar nem toalhas nem hóstias nem cálice para celebrar o sacrifício da missa.Estávamos em plena guerra e de rigorosa prevenção. As tropas de elite tinham saído para uma operação não pode haver ajuntamentos ou atividades que não primitiam uma reação pronta e imediata.Estávamos em pleno mato. Era o destacamento mais pequeno e isolado da maior desolação. Era a pior a expetativa do que a ação planeada e movimentada.Tenho os nervos num feixe como eles mas não podia dar a entender.Era a pior a expetativa do que a ação planeada e movimentada como comentava o comandante da companhia do destacamento. Muito perto deste destacamento encontrava-se fortemente implantadas algumas das bases importantes da FRELIMO nomeadamente a da Mepotxe.

    ResponderEliminar
  5. Tinha acabado de chegar ao Lunho era checa de todo era a palavra que em Moçambique designava o maçarico o novato e o recém chegado.Estava no período de adaptação à guerra propriamente dita até ali tudo não passava de teoria depois as coisas foram mesmo a sério e muito diferentes de tudo que eu tinha aprendido durante meses de prática no pacifico retângulo europeu.Agora era mesmo a minha vida que se encontrava em jogo. Os conselhos dos "velhinhos" eram escutados atentamente e cada um procurava tirar destes conselhos o maior partido possível.Velhinhos eram os militares que nós checas íamos render às respetivas missões e que já tinham muitos meses de guerra e por isso mesmo muita experiência.Ouvilos era um ato de muita inteligência e pelo menos me poderia trazer alguma vantagem.
    Os heróis do arame farpado se limitavam a fazer as tarefas que o comandante de companhia lhes designava os operacionais que pertenciam aos pelotões faziam reforços nos postos de sentinela e partiam para o mato à procura dos cabeças de cabelo encarapinhado para que eles não se aproximassem do nosso aquartelamento do Lunho.Mas a tropa era assim mesmo manda quem pode e obedece quem deve.
    A companhia de caçadores 4141 os gaviões foi para o pior buraco mais famoso do Lunho um dos piores do Niassa havia elementos da companhia que com a sua inteligência passando a graxa ao chefe para se desenfiar das picagens dos reforços e do mato passando uma verdadeira instancia turística a minha indignação ia para além dos diretamente visados nesta artimanha.

    ResponderEliminar